top of page
  • Whatsapp
  • Facebook
  • Instagram
  • Foto do escritorKombozza Marketing Propaganda Marcas e Patentes

A utilização do melaço de cana na alimentação dos suínos, suas particularidades e benefícios


A criação de suínos é crescente em nosso país, sendo que cerca de 56 milhões de cabeças foram abatidas no ano de 2021. Com base nisso e na importância econômica dessa atividade, os produtores têm procurado equilibrar a produção, buscando a sua sustentabilidade, com opções nutricionais adequadas e de menor custo, a fim de obter qualidade de produção exponencial.


A oferta de melaço de cana em dietas planejadas para categorias de suínos pode conferir muitos benefícios para os criadores em geral, associando-se diretamente com a necessidade de produzir com segurança, qualidade e economia.


Conhecer alimentos que são fonte de energia é um dos principais fatores para realizar dietas balanceadas. Com base nisso, o melaço de cana é uma excelente opção energética, sendo rico em açúcares totais e composto por cerca de 75% de matéria seca (MS). Além disso, apresenta carboidratos e quantidades significativas de açúcares redutores em sua composição.


Sendo assim, o presente artigo traz ao leitor soluções viáveis baseadas especialmente na oferta de melaço de cana para suínos. Acompanhe o conteúdo na íntegra e enriqueça os seus conhecimentos.


A importância de uma nutrição equilibrada para os suínos


Considerando as diversas fases de crescimento dos suínos, é importante entender que, em cada fase, as necessidades nutricionais serão diferentes. No entanto, em todas elas haverá um elevado custo de produção.


É importante contar com um responsável técnico para proporcionar uma qualidade nutricional adequada, bem como para garantir o equilíbrio entre opções saudáveis e viáveis, sem deixar de lado a sustentabilidade e o necessário para a qualidade da produção.


Entender que a nutrição de seus animais é um investimento pode ser a virada de chave para você optar por compostos como o melaço.


A nutrição de precisão é a chave para o êxito no seu negócio. Nesse sentido, o melaço de cana na alimentação dos suínos, além de viável, é seguro quando adicionado em quantidades adequadas, proporcionando benefícios importantes que valem a pena entender melhor.

Entenda quais as necessidades nutricionais de cada fase produtiva dos suínos e a adição do melaço a seguir.

Creche: fase dos leitões

Trata-se de uma fase delicada que demanda atenção sanitária e preventiva, especialmente. Nutricionalmente falando, os pequenos leitões acabaram de sair do aleitamento materno e, por isso, estão fisiologicamente se adaptando à nova alimentação.


Devido às bruscas mudanças que esses animais estão passando, a atenção com o que é ofertado nutricionalmente deve ser redobrada, sendo que alimentos altamente digestíveis são mais indicados.


O desempenho dos animais durante essa fase influencia em até 35% do ganho de peso total do suíno até o seu abate, evidenciando a necessidade de ter atenção redobrada.


Maximizar o consumo de ração nessa fase resulta em maior ganho médio diário de peso e reflete de forma positiva nas fases subsequentes de crescimento e terminação, podendo até mesmo reduzir em dias o abate desse suíno, o que afeta o bolso do produtor.


Ofertar o melaço como substituto do açúcar e como ingrediente palatabilizante nas rações durante essa fase da criação, promove a redução do custo final da ração, bem como:


  • Promove maior digestibilidade de energia bruta e da matéria mineral;

  • Altera as características físico-químicas da ração, favorecendo o interesse e consumo;

  • Permite explorar maiores temperaturas de peletização;

  • Maiores temperaturas no processamento da ração, interferindo de forma positiva na digestibilidade de vitaminas e minerais, tais como Ca, P e MM das dietas.

Crescimento e terminação

Após a saída da creche, o suíno passa para o crescimento e engorda, onde haverá a absorção de nutrientes para a deposição muscular adequada e a qualidade da carne. Compreende a maior parte da vida do animal e por consequência representa também o maior custo produtivo para o criador.


Inerente a espécie, os suínos vão priorizar o consumo de alimento de fácil e de rápida ingestão, sendo que os alimentos úmidos ou líquidos são as preferências durante essa fase. O alto teor de energia associado ao equilíbrio dos teores de proteína conferirá ao metabolismo condições de manutenção e deposição de músculos ou carne de qualidade. A oferta balanceada de vitaminas e minerais também é fundamental nessa fase.


É comum serem ofertados alimentos não só peletizados, mas também farelos ou compostos triturados. Nesse contexto, sabemos que a granulometria adequada interfere na digestibilidade, disponibilidade de energia bruta, matéria seca e nitrogênio, diminuindo, assim, a excreção dos últimos dois ingredientes e proporcionando o melhor uso dos mesmos.


Quanto mais finas a moagem dos ingredientes, maior a incidência de ulceras gástricas, o que está relacionado também ao estresse e á dietas pobres em fibra bruta.


Diante dessa realidade, oferecer o melaço de cana como alternativa às fontes de energia comuns, como o milho, é muito interessante, porém é necessário atentar-se para a porcentagem de substituição ideal, ou seja:


  • A substituição parcial em 3% do melaço de cana ao milho na dieta dos suínos promove bons resultados;

  • O uso de melaço na concentração adequada melhora a relação carne/gordura da carcaça;

  • Influencia na redução do teor de gordura de toucinho e, consequentemente, aumenta a deposição de carne magra;

  • O melaço pode atuar como fator de agregação dos componentes moídos e favorece a peletização;

  • O aroma adocicado, o sabor de alta aceitação e a consistência que o melaço agrega na formulação final também são fatores que potencializam o consumo adequado;

  • Por ser rico em açúcares, a energia digestível do melaço é interessante de ser acrescida na alimentação dos suínos, atentando-se para não ultrapassar a dosagem ideal e resultar em quadros de diarreia.

A partir de cerca de 60 kg até o animal ser abatido, consideramos como fase de terminação. Durante essa fase, alguns pontos influenciam na exigência nutricional, variando nos resultados observados. Uma vez adicionado o melaço na alimentação do suíno, esses fatores são:


  • Sexo;

  • Potencial genético;

  • Fase produtiva.

Conheça o melaço e enriqueça a alimentação do seu plantel

Portanto, diante de estudos científicos, o uso do melaço de cana na dieta dos suínos em diferentes fases produtivas pode ter resultados muito interessantes, especialmente se considerados o custo de adesão e o rendimento na aplicação diária. Conhecer os benefícios pode motivá-lo a aderir à ideia do melaço como opção sustentável em sua criação.


O uso do melaço de cana na dieta dos suínos pode apresentar resultados muito interessantes.

De toda forma, recomendamos que haja atenção na formulação e na oferta, sendo que realidades diferentes apresentarão exigências e controle diferentes. Por isso, não deixe de analisar junto ao responsável técnico nutricional a respeito do uso do melaço de cana em sua propriedade.


Agora que você já conhece os benefícios do melaço de cana na alimentação dos suínos, com certeza não vai perder a oportunidade de oferecê-lo aos seus animais. Para adquirir o melhor melaço de cana do mercado, entre em contato com a Melaços Brasileiros.

6 visualizações0 comentário

Comentarios


bottom of page